domingo, 11 de outubro de 2015

Quer Comprar um Micro Porquinho Geneticamente Editado?


 Na minha memória o porquinho mais famoso que conheci era o do filme “Babe o porquinho atrapalhado” de 1995. Isso mesmo, vinte anos atrás!
Na verdade não era “o babe”, eram “os babes”. Foram necessários 48 porquinhos da raça yorkshire para que pudessem concluir as filmagens, pois animais dessa raça crescem rapidamente, podendo chegar a módicos 120kg aos 6 meses de vida. Provavelmente deve ter sido o Babe que indiretamente influenciou “a moda” do porquinho como animal de estimação.  
Atualmente existem porcos bem menores, no Brasil, os micropigs, são fruto do cruzamento de três raças (Kune Kune X Porquinho Vietnamita X Cerdo Enano), estes animais pesam cerca de 30 kg na fase adulta, já os micropigs desenvolvidos recentemente pela equipe de cientistas do BGI, na china, tem a metade do peso do micro porquinho obtido por meios convencionais (imagem abaixo). De acordo com os cientistas, também é possível “editar” outras características como a coloração. Já imaginou o pessoal querendo ter porquinhos de várias cores?

Ficou com vontade de adquirir o seu? Então prepare o bolso pois o provável preço inicial de venda na china é de 10000 yuan (aproximadamente uns 6000 reais).
Como os cientistas obtém os micropigs?
São usados suínos de raça Bama que pesam entre 35 a 50 kg, de onde se retirada células do feto, que antes de serem clonadas, são submetidas as enzimas chamadas transcription activator like-effetor nucleases (TALENs), ou em bom português, transcrição do gene alvo ativador-como nucleases efetoras, que tem o papel de desativar um dos dois genes receptores do hormônio de crescimento nas células.
Com o desenvolvimento da Bama clonado, sem as células receptoras para o hormônio do crescimento, o resultado é o micro porquinho.
Afim de otimizar o processo, os cientistas repetiram o procedimento gerando animais do sexo masculino que foram cruzados com fêmeas normais, resultando numa prole com 50% de micropigs e 50% de animais normais. Resultado excelente, considerando o custo de obtenção de micropigs via clonagem e os possíveis problemas de saúde que a clonagem pode vir a ocasionar.
Muito mais que um animal de estimação
Na verdade suínos são largamente utilizados como organismos modelo para estudos tratamentos de doenças humanas, e um animal menor gera menos custo para a condução de experimentos. Este é o verdadeiro foco do BGI, que pretende reverter todo o dinheiro arrecadado com as vendas para continuar custeando suas pesquisas.

video

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Ser bruxo ou não ser, a genética é a solução


Em abril de 2005 foi publicada na Revista Nature uma carta de três pesquisadores na área de genética sobre uma estratégia para introduzir conceitos de genética à crianças/jovens. O mais interessante é que os pesquisadores, que provavelmente são fãs dos livros do Harry Potter, foram muito perspicazes ao notarem que existia um padrão na herança para da característica dos personagens serem bruxos ou Trouxas (Humano  normal). Essa correspondência inspirou  questões de vestibulares aqui no Brasil. 
Eu vou resolver  uma delas que servirá  para explicar o que eles relataram à Nature.
(FUVEST-2008) Na revista Nature, em 11 de agosto de 2005, foi publicada uma carta em que os autores sugeriram que as histórias do jovem “bruxo” Harry Potter, escritas por J. K. Rowling, poderiam ser úteis no ensino da hereditariedade. Nessas histórias, os indivíduos podem ser “bruxos” ou “trouxas”. I. Harry Potter é filho único de um casal de “bruxos”. II. O amigo de Potter, Ron Weasley, é “bruxo” e tem pai e mãe “bruxos”. Os irmãos de Ron, Fred e George, e sua irmã Gina também são “bruxos”. III. A jovem “bruxa” Hermione nasceu do casamento entre uma “trouxa” e um “trouxa”. IV. O “bruxo” Draco Malfoy, inimigo de Potter, tem pai e mãe “bruxos”. Com base nessas informações, responda:
a) Supondo que ser “bruxo” ou “trouxa” é um caráter hereditário monogênico, qual das famílias permite concluir que o gene que determina tal característica não se localiza no cromossomo X? Justifique.
b) O “bruxo” Draco Malfoy despreza pessoas como Hermione, que têm pais “trouxas”, pois se considera um “bruxo” de sangue puro. Se vierem a se casar com “bruxos”, quem tem maior probabilidade de ter crianças “bruxas”, Draco ou Hermione? Por quê?

Resposta letra a:
A primeira coisa a ser feita é montar a árvore genealógica para cada caso que foi descrito. 
Destaquei os bruxos com preenchimento ROXO.

Quem for atento pode perceber que se fôssemos montar uma árvore genealógica para cada caso teríamos a “mesma estrutura da arvore” para o caso I, e IV (filho bruxo de pais bruxos).
Na primeira pergunta, já está sendo afirmando que o caráter em questão é controlado por 1  gene com dois alelos e temos que provar que este não se localiza no cromossomo X. Vamos montar as hipóteses  que teriam de ser atendidas para o caráter bruxo ser ligado ao cromossomo X . Para isso, temos que achar a estrutura da árvore que permite que façamos alguma inferência, se formos observar as três árvores montadas, o único caso que vemos alguma variação na condição dos pais/filhos (segregando) é a III (bruxa filha de humanos) esse é o "pulo do gato" para responder este tipo de  questão.
Agora é hora de elaborar as possibilidades do gene ser ligado ao X e observarmos se a III árvore atende o que esta sendo proposto:
Hipótese 1: se o caráter fosse recessivo (b) ligado ao X,  para a filha ser bruxa (XbXb) ela teria que receber um cromossomo da mãe, que poderia ser humana portadora do alelo bruxo (XBXb), mas o pai teria que ser OBRIGATORIAMENTE bruxo (XbY).
Hipótese 2: Caso o caráter bruxo fosse dominante ligado ao X, a filha bruxa teria que ser (XBXb ou XBXB) e ao menos um dos pais teria que ser bruxo (XBY, XBXb ou XBXB).
Podemos justificar o fato do caráter não ser ligado ao cromossomo X quando as duas hipóteses possíveis não são atendidas ao observarmos a árvore III.

Resposta letra b.
Para que a probabilidade de um dos dois seja maior que a do outro eles teriam que ser homozigotos dominante ou recessivo para a característica.
Já sabemos que o caráter em questão é controlado por um gene que não está localizado no cromossomo X. Também sabemos que não se trata de genes localizados no cromossomo Y (Genes Holândricos), pois há mulheres bruxas. para saber de mais coisas que poderiam ser testadas olhe aqui.
Vamos ver se a árvore III atende a possibilidade do caráter bruxo ser controlado por um gene autossomal recessivo ou dominante.
Hipótese 1: um gene autossomal dominante. Para ser bruxo a menina teria que ser (BB ou Bb) e os pais teriam que ser bruxos também, pois ambos seriam portadores de ao menos um alelo (B).
Hipótese 2: um gene autossomal recessivo. Para ser bruxa a menina teria que ser obrigatoriamente (bb) e os dois pais teriam que ao menos ser humanos portadores do caráter bruxa (Bb) ou bruxos (bb).
Verificamos que com isso a árvore III (e demais arvores) atende o que propomos na hipótese 2, pais humanos (Bb) e filha bruxa (bb). Com isso podemos concluir que tanto a Draco Malfoy (bb) quanto Hermione (bb) tem a mesma probabilidade de gerarem filhos bruxos e todos os seus filhos seriam bruxos.  
Resumindo: todos os bruxos são homozigotos recessivos (bb).
Voltando a correspondência enviada a Nature, os pesquisadores ainda apontaram outras coisas além do caráter recessivo para ser bruxo.  Neville, bruxo de pouco poder, e o zelador Fich, filho de bruxo mas sem poderes, poderiam ser assim desta meneira devido a mutações, penetrância incompleta, e/ou pulada de cerca paternidade duvidosa.  


Tem mais uma questão relacionada à carta, mas essa eu deixo para vocês resolverem e comentarem sobre a resposta que acharam.

(UFRGS-2006) Conforme correspondência publicada na revista científica Nature de agosto de 2005 (p.776), foi sugerido que a característica de ser ou não bruxo seguiria padrão de segregação mendeliana. Rony, Neville e Draco são bruxos, filhos de pais bruxos, provenientes de famílias bruxas tradicionais. Hermione é bruxa, mas filha de trouxas (não bruxos). Simas é bruxo, filho de uma bruxa e de um trouxa. Harry é bruxo, filho de bruxos, sendo sua mãe filha de trouxas.
Com base no texto, considere as seguintes afirmações sobre o caráter bruxo em termos genéticos.
I. Harry é menos bruxo que Rony, Neville e Draco.
II.  Hermione apresenta dois alelos para o caráter bruxo.
III. Simas é heterozigoto para o caráter bruxo.
Quais estão corretas?
(A) Apenas I.
(B) Apenas II.
(C) Apenas I e III.
(D) Apenas II e III.
(E) I, II e III.

sexta-feira, 1 de maio de 2015

CRISPR/Cas9: Manipulando o Genoma Humano



Fiz questão de “traduzir” o vídeo acima facilitando a minha e a sua vida para entender basicamente como o DNA pode ser manipulado através do CRISPR/Cas9.  Deem uma olhada e depois voltem a ler o meu breve comentário sobe essa polêmica.
O artigo publicado na Protein &Cell sobre a manipulação de embriões humanos (não viáveis) causou o maior “fervor” na comunidade científica. O estudo utilizou embriões humanos com o objetivo de inativar o gene causador da anemia do mediterrâneo (talassemia).
 Como era de se esperar, alguns veículos de comunicação nacionais trataram o assunto como se a tecnologia já estivesse sendo no dia a dia em qualquer clínica de fertilização. Com relação a utilização desta metodologia diretamente em células embrionárias humanas, acredito que seja algo extremamente precipitado, além de envolver um longo debate ético a tecnologia ainda é muito recente para sabermos das possíveis consequências do uso em humanos. Existem outras maneiras mais simples para evitarmos algumas doenças genéticas em nossos filhos, como a seleção genética de embriões in vitro.
Nos EUA, Francis S Collis, diretor do Instituto Nacional de Saúde (NIH) e um dos geneticistas mais respeitados do mundo, divulgou uma carta aberta afirmando que a utilização desta tecnologia em embriões humanos deve ser banida.
Por outro lado, como pode ser visto no vídeo, CRISPR/Cas9 é uma tecnologia muito interessante para a aplicação em plantas e animais (não humanos).
No mesmo momento em que li esta notícia, veio em minha mente a o filme GATTACA que já comentei aqui no blog, e para finalizar deixo a seguinte pergunta: Será que este tipo de pesquisa não vai continuar “por baixo dos panos” mesmo a contragosto de grande parte da comunidade científica?

imagem: www.redorbit.com  


quinta-feira, 12 de março de 2015

Ensino de Criacionismo Obrigatório nas Escolas #eusoucontraPL8099

video

Esse trecho do episódio da série The Big Bang Theory serve muito bem para ilustrar o caso que irei comentar.
Antes de mais nada, gostaria de deixar claro que todos têm o direito de ter ou não a crença que bem entender.
O problema é que a escola não é lugar para ensino sobre mito de criação, todavia, parece que o Sr. deputado e pastor Marcos Feliciano não concorda com isso, tanto que propôs uma lei que pretende tornar o ensino de criacionismo obrigatório nas escolas públicas e privadas.
Segundo o Sr. Feliciano “O Ensino darwinista limita a visão cosmológica de mundo existencialista levando os estudantes a desacreditarem da existência de um criador que está acima das frágeis conjecturas humanas forjadas em tubos de ensaio laboratorial.”  Leia o projeto na íntegra aqui.
Ele diz que a “ciência limita a visão cosmológica”. Na minha humilde opinião, a ciência tenta decifrar os fenômenos naturais justamente porque não se conforma com uma explicação simplista. É justamente a não conformidade que faz com que o cientista elabore e teste hipóteses.
Continuando as pérolas: “são frágeis conjeturas humanas FORJADAS em tubos de ensaio”. Conjecturas frágeis e forjadas.... WTF! - Rasguem todos os livros didáticos corram para as colinas!
 Ao contrário do que o senhor Feliciano está propondo que seja ensinado nas escolas, nós podemos testar e validar evolução por meio de inúmeros experimentos.
As Redes sociais já estão se manifestando contra o projeto de lei através da Hastag  #eusoucontraPL8099  se você também é contra compartilhe.
Cliquem para ler as cartas elaboradas pela Associação Brasileira de ensino de Biologia (SBEnBio) e a Sociedade Brasileira Para o Progresso da Ciência (SBPC) sobre este assunto.